Castelo Sforzesco

O Castelo Sforzesco (Castello Sforzesco) foi construído como fortaleza durante o século XIV e é um dos monumentos mais emblemáticos de Milão. Na atualidade, abriga alguns dos melhores museus da cidade

O castelo no passado

O Castelo Sforzesco foi construído como fortaleza em 1368. Posteriormente, foi transformado em um esplêndido palácio ducal que foi praticamente destruído durante a República Ambrosiana.

A família Sforza se esforçou por converter o castelo em uma das cortes mais magníficas da Itália, embora posteriormente tenha passado às mãos dos espanhóis e austríacos e recuperado sua antiga função militar.

Com o decreto de 23 de junho de 1800, Napoleão ordenou a demolição do castelo e, em 1801, foram derrubadas as torres laterais e os bastiões espanhóis.

Na segunda metade do século XIX, o castelo foi alvo de discussão entre os milaneses, já que muitos cidadãos queriam destruí-lo para construir um luxuoso bairro residencial. No entanto, prevaleceu a cultura histórica e o arquiteto Luca Beltrami executou uma importante restauração, devolvendo ao castelo o aspecto que ele tinha na época dos Sforza. A restauração foi finalizada em 1905, com a inauguração da Torre de FIlarete e o Parque Sempione, construído onde estava a antiga praça de armas.

Durante a Segunda Guerra Mundial, o castelo foi gravemente danificado.

No final do século XX, foi construída a praça do castelo com uma fonte inspirada na que ocupava o lugar anteriormente, antes de ser destruída, nos anos 1960, pela construção do metrô. Em 2005 foram finalizados os últimos trabalhos de restauração da zona do curral e nas salas do castelo.

Os museus do castelo

  • Museu de Arte Antiga: Frescos da família Sforza e esculturas de grande valor pertencentes à Antiguidade, Medieval e Renascimento. Entre as obras mais importantes está a Piedade Rondanini, último e inacabado trabalho de Michelangelo.
  • Pinacoteca: A pinacoteca do castelo, composta por mais de 1.500 obras, mostra pinturas feitas entre os séculos XIII e XVIII
  • Museu Egípcio: Esse museu mostra diferentes objetos provenientes do Egito, entre os quais estão estátuas, sarcófagos, múmias e máscaras funerárias
  • Museu da Pré-história e Proto-história: Através dos objetos desse museu são exibidas as principais culturas que estiveram na Lombardia do Neolítico até o período de romanização.
  • Museu de Artes Decorativas: Mostra o trabalho de mestres da escultura, ceramistas, tapeceiros e tecelões dos séculos XI a XVIII
  • Museu de Instrumentos Musicais: O Museu de Instrumentos Musicais abriga curiosos instrumentos provenientes de diferentes partes do mundo
  • Museu do Móvel: Seis séculos de história mediante peças criadas entre os séculos XV e XX. Os móveis são exibidos em uma recriação real dos ambientes para ilustrar o contexto em que se encontravam.

Além dos museus indicados, no Castelo Sforzesco também há outros espaços expositivos: o Museu da Piedade Rondanini, a Coleção Numismática e de Medalhas, a “Sala delle Asse” de Leonardo da Vinci, a Coleção de Desenhos e a Coleção de Gravuras “Achille Bertarelli”. 

Um castelo com muita arte

Alguns dos museus do castelo são bastante interessantes e a visita inclui um percurso através de todos eles por um preço módico. Se você não está interessado em visitar os museus, recomendamos que você entre para conhecer o amplo pátio central do castelo, que está aberto ao público de forma gratuita.

Horário

Castelo: Todos os dias, das 7:00 às 19:30 horas.
Museu: De terça a domingo, das 9:00 às 17:30 horas.

Preço

Castelo: entrada gratuita.
Museus
Adultos: 5€.
Estudantes e maiores de 65 anos: 3€.
Menores de 25 anos: entrada gratuita.
Sextas, das 14:00 às 17:30 horas: entrada gratuita.
De terça a quinta e finais de semana, das 16:30 às 17:30 horas: entrada gratuita

Transporte

Metrô: Cadorna, linha M1, Cairoli, linha M1; Lanza, linha M2.
Ônibus: linhas 18, 50, 37, 58, 61 e 94.
Bonde: linhas 1, 2, 12, 14 e 19.